terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Convivência


Não quero falar com ninguém, quem nunca acordou pensando assim? Isso é a situação mais comum que existe, às vezes estou muito preocupado com alguma coisa, posso não está com saco pra conversar, pode ser alguma chateação que não estou a fim de compartilhar, o que não significa que não confie em você, simplesmente quero ficar na minha, não quero sorrir, não quero ser interrogado, não quero ser obrigado a sorrir só por que normalmente costumo ser assim, o problema não é com você e você não me fez nada, e também não foi alguma coisa que você disse, a única coisa que quero nesse momento, é não ser incomodado, claramente percebemos que isso não agrada a maioria das pessoas, a partir do momento que você muda um pouco o padrão, já é motivo pra interrogatórios, não seria mais fácil perceber a situação e respeitar, no momento oportuno a pessoa vai te falar. Agora, se estivéssemos do outro lado da história, não é tão simples quanto parece, se você é acostumado a ver uma pessoa o tempo todo sorrindo, alegre e feliz e do nada ela fica muda, o que fazer? É tendencioso dizer que você não vai perguntar e vai simplesmente respeitar, se gosta mesmo dessa pessoa é automático reagir com preocupação, bom, e então o que devemos fazer? Quem gosta de lidar com a bipolaridade de alguém? Quem consegue conviver com pessoas instáveis? Você tem medo que te chamem assim? Sinceramente, não consigo gostar nem de um tipo e nem de outro. Todo mundo tem o direito de mudar, evoluir e etc... Isso é a Lei básica da existência e, se não fosse pelo instinto primordial de ser melhor, ainda estaríamos nas cavernas, fazendo uga- uga e comendo raízes e folhas. Percebo que existem pessoas que mudam de idéia, time, religião, opção sexual e tudo o mais, a cada duas semanas. Mas, cuidado: a qualquer solavanco da estrada ou da vida ou o que vier primeiro a “mudança” acompanha e nem sempre esse espaço de duas semanas é respeitado. E nem pense em lembrá-la do time, religião ou filosofia de vida de uma semana atrás, ela irá pra cima de você com dois quentes e um fervendo pra te desmentir e vai fazer de tudo pra você acreditar, que ela era desse modo de duas semanas atrás por causa da “SUA maldita influência perniciosa”. Outro tipo de pessoa que percebo são as que não tem opinião própria; escolhe uma pessoa que ela admira seja pela força ou mesmo pela personalidade e seu lema é “O mestre mandou...”, como na brincadeira de criança. O problema é que nem sempre, quem ela “admira” é uma pessoa “tão” legal assim, na maioria dos casos, é uma pessoa bem articulada que acaba influenciando a cabecinha fraca da “vai com as outras” e na grande maioria dos casos, essa pessoa bem articulada nem é tão bacana assim, porque pessoas bem resolvidas não precisam de um monte de gente sem personalidade atrás, imitando suas ações e concordando com os seus gostos e bancando os melhores amigos de infância, nem que seja seus melhores amigos desde os últimos quinze minutos. Quem gosta disso é “gente que precisa de aprovação”, que não sabe o que quer e que tem medo de viver, para mim, está pessoa se encaixa no mesmo nível que esses dois tipinhos descritos acima. Vamos aprender a conviver, você pode ou não concordar com o que eu penso, não mude por mim eu não mudo por você, nos respeitamos e se um dia eu não me pronunciar, lembre-se de que amanhã pode ser você.

Diogo Hamlet

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A Morte de um YORKSHIRE


Quem não viu o vídeo da mulher que cruelmente agrediu um cãozinho por dois dias até sua morte? Bom, a repercussão que o assunto tomou invadiu as redes sociais e foi parar no Fantástico e em outros grandes jornais de domingo que lideram o Ibope, por falar em Ibope, seria mesmo necessário dar tanto IBOPE ao assunto? A morte de um cachorrinho? A enfermeira pode ser indiciada por maus tratos, e aí? Vai ser presa? Como ela já disse em seu twitter: “não vai dar nada...” e realmente não vai dar nada, tenho certeza que isso não é um caso isolado, violência a um cachorro pode até ser, apesar de não acreditar, o que a filha dela passou vendo aquelas cenas conta também? A mesma violência contra o cão acontece com crianças o tempo o todo, será que não existem nenhum vizinho, nenhuma alma revolucionária, que poderia usar seu celular que hoje é impossível não ter câmera e filmar uma agressão dessas? Somos violentados todos os dias com impostos, com tarifas, com preços, será que não existe ninguém capaz de levantar e dizer: “Eu não vou mais ganhar dinheiro fácil nas custas de um trabalhador”, vou denunciar a corrupção? Acho que não, hein? É muito fácil mobilizar imagens criativas, textos fantásticos, arrancar lágrimas das pessoas, com imagens de um cãozinho e quando o assunto é um ser humano? Não merecemos uma mobilização decente? Umas filmagens que consigam 30 minutos nos grandes telejornais de domingo, todos sabem que não conseguimos muitas pessoas na marcha contra a corrupção, será que se fizermos uma marcha contra violência aos animais, teremos aí um milhão de pessoas sedentas por leis que condenem quem maltrata animais? Sinceramente estou cansado de tanta hipocrisia, não que ache, que o que a enfermeira fez está certo, o que acho mesmo é que o foco das notícias, as abordagens que são feitas sobre determinados assuntos, ganham ênfase desnecessária, é quando um criativo lança uma imagem, e vira modinha na internet, canalizem sua criatividade pra TENTAR, fazer do Brasil um país mais respeitado, com mais humanos e menos monstros assassinos e corruptos, assim estará fazendo sua parte, sem ser influenciado pela a massa, a mesma que soltou Barrabas e condenou Jesus.

Diogo Hamlet

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Vazio


Ao levantar, vi uma manhã chuvosa, percebi que a dor no peito, não eram alterações na saúde e sim sentimentos aguçados, borbulhando, incandescente, passei a me perguntar, por que estou com esse vazio no peito? Por que esse sentimento de que falta alguma coisa, se eu tenho tudo o que sempre quis? Confesso, não achei resposta imediata, apressadamente me arrumei, mais uma jornada de trabalho, a chuva? Não me incomodava, o cheiro? De nada me atraia, nenhuma voz era ouvida, o silêncio era a única coisa que gritava no meu ouvido, o mundo parecia está congelado, as nuvens escondidas na neblina como se tivessem vergonha de mim, será que estou desagradando a Deus? Será que toda essa vulcanização de sentimentos, é uma reação a falta da presença de Deus? Sem pensar duas vezes, mentalmente soltei um: Deus, estás aí? Será que podemos conversar? O som interno das cordas de um violão lentamente começou ser dedilhado, uma música simples, bem trabalhada, foi me invadindo, uma torneira ligada jogou de dentro pra fora lágrimas de alegria, de força, de incentivo, fui tomado por sentimento de satisfação, sorri, olhei para os lados e tudo seguia seu devido curso, abri o vidro do carro e o vento me fez um carinho e entendi, que quando se tem tudo o que quer, quando se está satisfeito, só irá existir o vazio, se você se afastar de Deus, achei mesmo que estava longe, fazia muito tempo que não folheava a seda do livro sagrado, atribui a isso, minha ausência de fé me deixou assim, bastou um olhar mais alto pra voltar a ver que Deus cuida de mim, e hoje nesse dia que se tornou tão especial eu só tenho a agradecer por ter tudo o que “não mereço”, por está tão bem e tão feliz, precisei sentir algo diferente, pra entender que isso é um presente, no momento que achei que estava só, lembrei daqueles que sempre estão se fazendo presentes na minha vida, são eles que fazem o preenchimento do meu dia, meus amigos. Se nesse momento você está sentindo um vazio, sentindo que, falta algo pra você ser completo, se não for preenchido pelo amor de alguém ou de amigos, olhe mais alto e verás que Deus já está com o odre apontado pra você.

Diogo Hamlet

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Tendências


Vivemos em um mundo onde o domínio e as tendências estão na mão da tecnologia, religião e dinheiro, não sei em que ordem, mas a meu ver são esses três aspectos que dominam.Complicado pensar que daqui alguns anos, pode não existir mais a religião, é simples de entender se você começar a fazer uma breve análise dos fatos que ocorrem a sua volta, a tecnologia tem inovado cada vez mais, fazendo com que todos fiquem impressionados com o que são capazes de fazer. A busca pelo o dinheiro, a tal estabilidade financeira, ter a roupa da moda, ter o aparelho eletrônico do ano, é atrativo a todos os seres humanos, agora, e a Religião? Eu particularmente só tenho me decepcionado com religiosos, falam de um Deus que não vivem, pregam boas novas, ministram louvores a um Deus que não faz diferença nenhuma na vida deles, lêem textos como: “ Não julgueis para que não sejais julgados” (Mateus. 7:1), e na prática? Será que o que veemente é pregado, imposto, é de fato praticado? Passar horas e horas preparando uma música, ensaiando, se deleitando de acordes, exercitando a sua voz, pra no dia da grande celebração ter a audácia de olhar nos olhos do seu irmão e dizer: “Como é precioso irmão estar bem junto a ti, e juntos lado a lado andarmos com Jesus...”(Ministério Koinonya de Louvor- Aliança), será que seu louvor está passando do teto? Será que você vive isso que sua boca está jogando ao vento? Não gosto de pensar que um dia tudo o que vivi vai chegar ao fim, olhando a vida de Jesus Cristo, descobri um ser humano fantástico que a propósito não é adepto da religião, viveu um cristianismo integro e verdadeiro, aquele que não causa separação, mas Diogo, como assim separação? Queridos olhem a sua volta quantas milhões de igrejas com diversos nomes e denominações estão surgindo todos os dias, e o mundo ta melhor por conta disso? Falam da igreja católica, falando de outras religiões, se acham “Os Salvos”, mas o que não percebem, é que são exatamente esses que estão causando a separação, enfim, como mudar de estratégia não é uma atitude inconseqüente, decidi deixar de ser religioso e procurar viver como Jesus viveu, quero poder bater no peito e dizer eu fui genuinamente “cristão”, busco internamente ser uma pessoa melhor, quero amar ao próximo como a mim mesmo NA PRÁTICA, não vou julgar ninguém sem antes conhecer e se algum dia me ouvir pregar, me ouvir entoar algum cântico de louvor saiba que se eu estou ali é por que vivo o que falo o que canto, homens são falhos, pessoas erram, se hoje você se encontra em um templo feito por mãos, se hoje você é um ministro de Deus, se hoje você se consideram um servo fiel e integro, certifique-se de que esteja fazendo tudo isso pelo o motivo certo, JESUS.

Diogo Hamlet

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

05/12/1982


Acordei, tive a oportunidade de desfrutar de uma sensação maravilhosa, que foi a de  abrir os olhos, percebi meus sentidos e comecei a observá-los, foi quando respirar passou a ser prazeroso, movimentar meus membros foi inominável, conseguir falar me deixou perplexo com o poder de Deus quando nos criou e o poder da ciência quando descobriu que podíamos evoluir, não tem nada mais lindo no mundo do que você entender o milagre da vida, o quanto é bom estar bem, com saúde; aliás, se parar para fazer uma breve análise de tudo o que conhece, vai perceber que saúde é a única na vida que só tem vantagem, todo resto tem seu oposto, o que de fato deixa ainda mais perfeito esse mistério que é viver, aos que de certa forma acham bobagem o que estou descrevendo, é simples de entender, basta pegar um espelho e reparar os detalhes que a tempos não percebia, você é o maior exemplo de que Deus existe. E, foi partindo desse princípio que comecei a refletir sobre a missão de um ser vivente, seria crer em alguma coisa? Seria viver pra alguém? Seria cumprir um chamado? Não vejo razão para sermos tão complexos quanto ao assunto. Durante 29 anos da minha vida eu realmente nunca precisei fazer essas perguntas, e por que agora? Por que dentro da minha insignificância, dentro do pouco que sou, dentro do mínimo que faço, fui tomado por um carinho, que nunca cheguei a imaginar, fui envolvido por gigantescos braços de pessoas que me admiram, me querem bem, que me querem por perto, que precisam de mim e isso nada, nem ninguém paga. Queria hoje nesse dia que pra mim é tão especial, deixar minha felicitação, por mais um ano de vida, por mais um dia no ano, por mais um sentimento no dia, a todos AMIGOS que eu amo, obrigado, sem vocês não teria sentido, contem sempre comigo meu nome é Diogo Hamlet e hoje eu sou seu AMIGO.
Diogo Hamlet  

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A Criança que quer voltar


Eu vivi na pseudo idéia que ausência financeira me tirava do meio juvenil. Na minha
época não gostava muito de livros, estudar era exaustivo, não que fosse certo, mas a
rua me chamava. A diversão era minha meta. Voltar da escola era sempre um grande
presente, o tempo pós aula era muito curto e às vezes faltava tempo. O uniforme vivia
sujo, o almoço não tinha tanto sabor comparado ao compromisso com a rua quando ela
me chamava. Eram tempos de excelência e muita energia pra se gastar e nunca pensei
que esse momento fosse acabar. Acredito que essas lembranças alimentam a vontade
de continuar, defender a vida antitecnologica, a melanina de minha pele que mantinha-
se bronzeada. A alimentação depois de uma boa corrida na rua, muitas vezes, era bem
mais prazerosa que a própria refeição. Amigos se reuniam em esquinas, pintavam ruas,
inventavam brinquedos com artefatos de reciclagem espalhados pelas faixas verdes. A
prática de esportes era notória, mesmo sem recursos adequados, o futebol poderia ser
com um coco vazio, dentre outras modalidades criativas que só a mente infantil é capaz
de criar, sem estresse, sem preocupações, apenas cumprindo o papel de ser criança.
O contato corpo a corpo, a imunização de doenças, o ardor de um “merthiolate”, a
degustação de frutas diversas nos quintais alheios, o sorriso, a alegria, o contato... Por
que o mundo tem que evoluir? O que seria evolução? Deixar todos esses importantes
meios de crescimento humanitário? Abandonar todo e qualquer contato com a natureza
ou outros seres humanos por mísera conexão extra pessoal? Sinto saudade da época
em que a palavra “brincar” era sempre utilizada no coletivo. Sinto falta da época que
crianças saíam de suas casas pra encontrar-se com outras. Da época em que existia
resistência ao entrar pra tomar banho. O tempo não volta atrás e a ausência de humanos
se conectando no famoso “tet a tet” está cada vez menor. Eu não posso mudar o mundo,
não posso mudar o avanço da tecnologia, mas posso me manter vivo, desligar os
aparelhos e, mesmo assim, viver. Posso convidar você a encontrar aquela criança feliz,
que vivia OFF-Line.

Diogo Hamlet

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Tudo começou quando...

Dentro daquela sala, o silencio era causado pela a ausência de luz;

Reunião cabeça, conversas negras, sonhos gerados, premiados com a cruz;

Preta de leve e os seus três negões, ao barulho de jardins, de fotos, euforia;

Ambiente contagiado, vento soprando brisa, agradava a todos com alegria;


Fim de slide, acenderam as cores clareadas pela a luz do ambiente;

Deixam pretos os negros que sem luz branca, eram envolvidos completamente;

Aplausos de pé ao som de uma saída, a voz do povo pedia mais daquele momento;

Conseguia decifrar os arrepios, consegui ver o brilho do olhar, estavam atentos;


O azul da poesia entrava e saia, com a solução na mão todos se divertiam;

Mesa branca rodeada de pretos, seu valor enaltecido, só eles sabiam;

Foi diferente, foi divertido, sorri, vivi, aprendi. O que foi um dia, não será mais;

A cabeça foi feita, o mundo está clamando, ontem, hoje, amanhã, tanto faz;


Começou com umbigo, ampliou-se com a mulher que faria a diferença;

Adquiria formas com premiação das letras, agora queremos que aconteça;

Sei que o caminho é longo, dificuldades, barreiras e a profundidade da porta estreita;

Dentro de algumas frações de minutos se ouvirá falar: Grupo de Teatro Cabeça Feita.


Diogo Hamlet

terça-feira, 1 de novembro de 2011

COMENTÁRIOS de um GAY sobre o movimento gay

Tive acesso a esse texto por e-mail através da minha querida amiga Viviane Zion (http://vivianebenzion.blogspot.com/), depois de ler pude observar que, esse texto resume com louvor o que penso sobre toda essa onda de defesa do direito gay e suas diversas paradas, não sou preconceituoso e muito menos homofóbico, só acho desnecessário tanta evidência ao assunto.

Diogo Hamlet



Tenho 42 anos, sou gay, torcedor do corinthians, advogado e moro em Londres.

Nunca sofri nenhum tipo de discriminação em virtude de minha orientação sexual.

E como gay, penso que tenho alguma autoridade nesse assunto.

Primeiramente - e já contrariando a turba - gostaria de expressar minha sincera simpatia pelo Deputado Bolsonaro, que no fundo deve ser uma pessoa de uma doçura ímpar, apesar de suas manifestações "grosseiras e/ou politicamente incorretas".

Mas ele está corretíssimo em suas ponderações sobre as ideais dos gays brasileiros.

Vou direto ao assunto.

Nunca tive problemas em ser homossexual porque sou uma pessoa comum, quase igual à vida de qualquer heterossexual.

Esse negócio de viver a vida expressando diuturnamente sua sexualidade é uma doença.

A sexualidade é algo que se encontra na esfera da intimidade e não diz respeito a ninguém.

Não tenho trejeitos e não aprecio quem os tem.

Para mim, qualquer tipo de extremo é patológico.

Minha vida é dedicada e focada em outras coisas, principalmente o trabalho.

Outros, como doentes que são, vivem a vida focados na sexualidade.

O machão grosseiro e mulherengo ou a bicha louca demonstram bem estes extremos.

Qualquer tipo de pervertido ou depravado (como a Preta Gil), o pedófilo, estão neste mesmo barco.

Nunca fui numa parada gay e jamais irei, pois para mim aquilo é um circo de loucas horrorosas, uma apologia à bizarrice e à cocaína.

Sejam francos e falem a verdade!

Hoje aplaudimos o bizarro e a perversão doentia e ainda levamos nossos filhos pra assistir esses desfiles.

Se a parada gay realmente fosse um ato político, relembrando sua real importância histórica, muita bem caberia no carnaval - abrindo o desfile das escolas de samba. Muito mais apropriado.

Está rolando sim, um movimento das bichas enlouquecidas, no

sentido de transformar o mundo num grande puteiro-hospício gay.

Eu tenho um sobrinho de 11 anos e nunca senti a necessidade de explicar para ele que o "titio é gay" - isto é uma palhaçada.

As crianças devem ser educadas no sentido de respeitar o próximo e ponto.

Isto engloba tudo.

Se pararmos para olhar como o mundo se encontra, temos que reconhecer que o modelo de educação que se desenvolve há décadas foi criado no sentido de deseducar e desestruturar cultural e intelectualmente as massas.

Universidades por todo mundo vomitam milhões de pseudos-intelectuais todos os anos, mas tudo piora a cada dia e caminhamos a passos largos para o buraco.

Todos os governos do mundo conspiram contra seus próprios cidadãos e se transformaram em grandes máfias, junto com os Bancos e as Corporações estão levando tudo, inclusive (e principalmente) nossa própria humanidade.

A corrupção se alastra pelo globo e nunca vimos tantas guerras e descrições que vão desde o aspecto moral, até o material - a destruição de nosso próprio planeta.

A coisa está tão feia, mas tão feia, que somente uma intervenção "divina" é capaz de frear nossos insanos governantes e a turba alucinada.

E digo mais !

A fonte desse movimento encontra-se dentro da Rede Globo, onde a viadagem anda solta, desde muito tempo atrás.

Os maiores interessados no crescimento desse movimento gay são osdiretores dessa TV desumana, a Globo, que no fundo no fundo, incita as crianças e jovens a assumirem um lado feminino, que em tese, às vezes nem existe de fato.

Se ninguém disser um chega BEM ALTO a essa gayzada frenética, a coisa sairá dos limites - como já está saindo.

Essa é a expressão de milhares e milhares de pessoas, para não dizer milhões.

Os gays precisam de amor e compreensão, não de fanatismo apregoado pelas bichas ensandecidas.

Marco Maia

domingo, 30 de outubro de 2011

Liberdade

Quando acordei naquele domingo eu sabia que tudo ia mudar

Todos os planetas giram e o sol está no mesmo lugar

Eu acreditei que tudo o que fizesse seria importante pra alguém

Soube o que tinha que fazer, sempre doei sangue e acho que fiz bem


Anos de minha vida estive lá, anos de vida vesti a camisa, sempre dedicado

Desde o nome, o detalhe do chão, o som, a logo marca era bem explicado

Entreguei minha vida a mudança, ao conhecimento, vi o mundo pós Religião

Foi mágico, sinto-me amadurecido, visionário, investido, sai da caixa, conheci irmãos


Acreditaram em mim, me deixaram viver, ensinaram- me a caminhar sozinho, com louvor

Virei um questionador, deixei de ser menino e das coisas de menino, aprendi mais sobre amor

Tudo que parece ser pra sempre muda, quando o curso da vida aponta pra outras visões

Quem disse que seria pra sempre se o pra sempre nem sempre é o que mantém relações


Vínculos, amizade, vão sempre existir, sei que a conseqüência de bons frutos vão brotar

Vejo diferença, vejo grandeza, vejo crescimento e muita objetividade, não vão me condenar

Com cabeça erguida volto, com sensação de missão cumprida vou continuar a trabalhar

Queria não ser julgado, queria não ser aquele que nada aprendeu, só quero voltar


Sei que existem pró, sei também que existem contra, mas se estar com Deus é o correto

Não vejo motivos pra uma desaprovação, só quero ser livre e tentar fazer o certo

Fui um grão de areia, um de mostarda, nessa obra que ainda está em construção, um munido

Espero que entendam que angústia de ter perdido, não supera a alegria de ter um dia possuído.


Diogo Hamlet

domingo, 9 de outubro de 2011

Sempre foi Ela

Lá de longe com suas malas prontas um sorriso ofuscante

Movimentava centenas de olhares, ela era brilhante

Quase noiva, muito feliz, boa filha, já mulher feita

Era difícil reagir, encontrar a chance perfeita


Amigos, éramos mais que isso era uma grande ilusão

Sequência de minutos sempre nos falávamos, sem moderação

Na frente de nossos progenitores ouvi aquela canção

Ela cantava com sorriso sarcástico “A Lenda dessa Paixão”


O tempo tocava o sino dizendo que já era hora

E o suposto homem de sua vida? Foi embora

Nada fácil, complicado sempre, tentei mais de uma vez

Condicionado a amá-la eternamente foi assim que a vida me fez


Prestes a completar o décimo primeiro ano de muito amor

Na tentativa de cultivar aquele sorriso, oculto em mim qualquer dor

Nunca existiu nada numerável e tão forte que me alimente

Poder enxergar dentro dos seus olhos e dizer, te amo eternamente


Diogo Hamlet

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O Grande Sonho

Os alicerces da vida parecem desabar

Senti que não tenho forças pra fazer o que gosto

Sonhos trocados pelo o conforto que tenho que dar

A faca rasgando por dentro fez as lágrimas me derrubar


Juro que achava fazer o certo, senti segurança

Os negros me estendiam a mão me dando confiança

Pé no chão, olhar adiante, tenho que começar pra chegar

Vencer não é imediato, leva tempo pra planejar


Mesa redonda, fim de slide, bem na minha frente

Só acreditava naquela luz que vinha de seus dentes

Ali tinha visão, voava em suas idéias, sempre pé no chão

Afundado em pensamentos, eu estava no porão


A voz dos filhos de palmares, eu já não entendia

Alforria e liberdade na música minha alma aprecia

Voltei a pensar no sonho, que outrora me animava

Estático sem ação eu novamente me encontrava


Diogo Hamlet

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Monte Sinai

Trabalhar é uma tarefa, que só faz quem quer

O capital é a recompensa de um esforço qualquer

Não é mérito se vangloriar por ganhar um pouco mais

Trabalhando com dignidade pouco ou muito tanto faz


Trabalhar dignifica o homem, faz do ser, o melhor

Gosto muito de correr atrás, pra não viver na pior

Acordar com seus compromissos pagos, é um orgulho

Não poder fazer nada pra quitá-los, é fazer barulho


Grita, reivindica, fala com quem pode resolver

Não tenha medo de lutar, trabalhou tem que receber

Que seja greve, megafone, trio elétrico, manifestação

Nessa luta eu quero guerra, nesta guerra ser campeão


Dormir sem preocupações, medo ou nostalgia

Conseguir chegar em casa, sair da cardiologia

Dessa fumaça negra, não agüento nenhum trago

Me ajude, Oh Baiano, só quero meu salário pago


Diogo Hamlet

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Precisamos de você

No canto direito, na minha frente elas estavam

Concentração, voz calma, fixamente se olhavam

Assunto delicado, ter filhos é mais complicado que imaginei

Sentei para me conectar ao mundo, quieto estava, quieto fiquei


O tema, já não era o mesmo, criou proporção,

Tão polêmico que chamou minha atenção

Momentos difíceis, pessoas doentes e sem esperança

Lágrimas de desesperos, uma família a espera de bonança


Médicos profissionais, bons, uns atenciosos e outros nem tanto

Ver a situação dos doentes esperando atendimento, que espanto

Horas e horas sofrendo, esperando, é uma eternidade ouvir te chamar

Alguns não resistem e ali mesmo deixam sua vida, outros ainda a agonizar


Socorro! Existe alguém que pode salvar esse sistema?

Esqueçam homossexualismo, racismo, mude o tema

Vamos fazer campanha, mobilizar o mundo nessa briga

Seja consciente, seja humano, doe sangue a favor da vida


Diogo Hamlet

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Eu queria mudar

Ritmos de sangue estão pulsando nesse momento

Lembranças, saudades, caminhadas, céu e vento

Movido por rimas, criado por lutas, vencendo

Olhar uma trajetória de suor acontecendo


Coragem? Eu acho que já não sei bem o que é

Queria poder correr pular o muro e cair em pé

Lá fora existe olhar enganoso sendo bem sucedido

Aqui dentro dessa caixa de vidro estou meio perdido


Quero voar, quero sentir o vento da liberdade

Não quero demorar, esperar, chegar a idade

Hamlet, vai cara, pula, a queda amigos amortecem

Não precisa de corda, é assim que coisas acontecem


Calma me deixa pensar,

Quero certeza de que vou chegar

Confio em você, sei que vou conseguir

Penso muito mais nela do que em mim


Conforto, cuidados e qualidade de vida

Só quero sair da caixa, se puder me manter na lida

Pague sua entrada e garanta seu lugar, já vai acender

Hora da mudança, de camarote veja acontecer


Diogo Hamlet

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

MultiForme

Gritando, o sol subiu, cansado de trabalhar

O vento leva suas reclamações para todo lugar

Parece normal, sábado, mas hoje é diferente

Começa a tarde e termina a noite é o que tenho em mente


Família, amigos e curiosos. Som, vídeo e luz afinados

Concentração, nervosismo e o elenco? Animados

Acende a luz, o silêncio entra, rola música de cara

O publico recebe, entrega, sorri e se abala


Frenéticas emoções, apreciação do talento

Resultado de quatro meses, to que não me agüento

Juntos, de mãos dadas, suados e contentes

O publico de pé, aos gritos os aplaudem, todos sorridentes


A tão temida hora, olha aí, acabou de chegar

Não pelo o fim do espetáculo, mas por ter que deixar

Alegria que contagia, amizade que se inicia, são poucos os que tem

Final de curso, final de espetáculo, agora, só ano que vem


Diogo Hamlet

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O Grande Dia








Quando o ponteiro se mostrou, do esconderijo saiu;

O barulho das chaves, o soar do alarme e o portão rugiu;

O silêncio vago, o olhar de quem ouve e conhece;

Quando eu chego em casa, aquele sorriso enlouquece;


Hoje fiz coisas diferentes, sou mestre em fazer sorrir;

Entrei fiz o que tinha que fazer, quando saí fiz o sorriso sumir;

Não pense que ofendi, maltratei ou insultei, o que fiz foi de coração;

Letras lançadas em folhas, sentimentos impressos, no fundo a canção;


No caminho pra casa, a música tocava;

Eu sorria, dirigia, imaginando sonhava;

Cheguei com vontade, falei o que tinha que ser dito;

Foram 4 meses de alegria, de corpo, alma e espírito;


Minha metade, feliz ficou minha outra metade radiante;

Depois de vários dias de luta, faltam só mais alguns instantes;

24 é o dia, 20 é a hora, 09 é o mês, o medo é o obstáculo;

Se você quer provar desse prazer, não percam nosso espetáculo;


Diogo Hamlet

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A Culpa é da Cor

Quando enxergo os caminhos trilhados

Vejo luz negra refletida em roupas brancas

A claridade que impressiona os olhos

Preciso saber se vai ser franca

Ontem vi passar correndo por mim

Dois deles descalços, um magro e fedido

Parecia assalto, Não, não era o Neguin

Eu não fiz nada deve ser um mal entendido

Olhar azul com aquele sorriso aliviado

Cinto de munição, camarim e mesa de ferro

O barulho da sirene ao longe, ele diz: Coitado

Em cada esquina um clarão, mais um preto fora de circulação

Galego de boa aparência, você já pode sair

Todos comentam o ocorrido, felizes pela proteção

Os políticos, ajudam no crime e o neguinho?

PRISÃO

Diogo Hamlet

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Notícia

Hoje a notícia me deixou impressionado

No passado vivenciado de Feudalismo

Véu preto, grosso, com brutalidade rasgado

Precedido pelo nomadismo, sucedido pelo capitalismo

Hoje a notícia disse sobre libertação

Eu juro que vi apreensão no escuro

Dentes, olhos, mãos e pés sem direção

Tempos de alívio lembranças de quando foi duro

Hoje a notícia era livre e feliz

As marcas das correntes já cicatrizaram

Ainda existem pessoas que não olham no seu nariz?

Seu sorriso, sua expressão, seu olhar me conquistaram

Hoje a notícia parece se enquadrar

Olhe onde estamos e não vamos parar

Mídias sociais, mundo digital, família estruturada

Respeito, cota, uma parede preta, parece acabar

Hoje a notícia está em todo planeta

Curvas delineadas, para o paulista é da hora

Não me contive usei a caneta

Miss Universo é Angola

Diogo Hamlet

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Aconteceu…

Foi assim, depois de levantar

Corri na tentativa de olhar

Não entendi o por que

Era só vento que dava pra ver

Parecia mágica ou coisa assim

A sensação de alegria não teve fim

Me agasalhei e admirei com emoção

Deixava em casa as donas do meu coração

Seguindo a rotina voltei ouvir

Ritmos e batidas que por um tempo esqueci

Sorrir, falar, se calar e pensar não faz mal a ninguém

Tenho certeza que laços firmados vão muito além

Hoje, eu vi que o tempo era diferente que o frio apareceu

Não sei todos detalhes, só sei que aconteceu…

Diogo Hamlet

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Dependentes Químicos

Algumas definições:

A DEPENDÊNCIA de qualquer substância psicoativa, ou seja, qualquer droga que altere o comportamento e que possa causar dependência (álcool, maconha, cocaína, crack, medicamentos para emagrecer à base de anfetaminas, calmantes indutores de dependência ou "tarja preta" etc.). A dependência se caracteriza por o indivíduo sentir que a droga é tão necessária (ou mais!) em sua vida quanto alimento, água, repouso, segurança... quando não o é.

"QUÍMICA" se refere ao fato de que o que provoca a dependência é uma substância química. O álcool, embora a maioria das pessoas o separem das drogas ilegais, é uma droga tão ou mais poderosa em causar dependência em pessoas predispostas quanto qualquer outra droga, ilegal ou não.

Jesus é a figura central do cristianismo. Para a maioria dos cristãos Jesus é Cristo, a encarnação de Deus e o "Filho de Deus", que teria sido enviado à Terra para salvar a humanidade.

Bíblia ("rolo" ou "livro")[é o texto religioso de valor sagrado para o Cristianismo[escrito há três mil anos por uma pequena tribo primitiva, onde a interpretação religiosa do motivo da existência do homem na Terra sob a perspectiva Judéia é narrada por humanos, mas considerada pela Igreja como divinamente inspirada.

DIOGO HAMLET um ser humano como qualquer um outro, que está sujeito as mesmas coisas que qualquer um, que tem assim como todos uma opinião formada sobre vários assuntos, mas que defende com todas as forças o seu direito de não concordar, sendo falho, errado e sujeito a mudanças assim como qualquer outro.

Bom, agora que você já leu essas definições vou continuar o raciocínio, o titulo do texto é claro no que vou conversar com vocês aqui, essa semana tivemos a trágica notícia da morte de Amy Jade Winehouse (Londres, 14 de setembro de 1983 — Londres, 23 de julho de 2011) foi uma cantora e compositora de Soul, Jazz e R&B do Reino Unido, sua carreira foi um destaque por seu talento nato como cantora dentre várias músicas de qualidade e por está sempre envolvida em polêmicas sobre uso constante de entorpecentes, a sua história era umas das mais comentadas em todo cenário do mundo, mas a minha pergunta é: Quantos outros milhões de jovens vivem o mesmo dilema? Ah Diogo pelo amor de Deus essa papo não. É exatamente isso “pelo amor de Deus” que você está livre de ter uma pessoa com essa dependência na sua família e se tem, já largou de mão pelo o que acabou de falar. Hoje fiz um “infeliz” comentário falando da AMY, e uma pessoa, me advertiu no sentido de que era interessante não só criticar e fazer chacotas da vítima, mas pensar também na família dela que está sofrendo com a perda, afinal não era isso que queriam pra vida dela. Diante a tanto talento e fama AMY continuou sendo ela mesmo sempre autêntica. Bom pensando em tudo o que ouvi, analisei melhor e retirei o comentário. Tu que é besta Diogo, eu teria deixado. Eu sei, eu também teria deixado, mas eu tenho uma filha, e primeiro passo pra conseguir educa-la é tentar deixar claro que essa vida de drogas só tem um caminho, o primeiro pra ser um bom pai é passar aceitar quando pessoas me contrariam, afinal falar sobre tudo é bom, entender que existem pessoas que vão discordar e/ou fazer você refletir é melhor ainda, enfim, quero aqui me retratar pelo o comentário feito no facebook e deixar esse pequeno texto:


“Jesus ama o ser humano, o ser humano tenta amar como Jesus, e a cópia nunca é como o original, em se falar de sofrimento, quem passa por ele sabe a dor, quem não passa só imagina e imaginar nunca é como sentir, seja compreensível com o próximo, e tentando ser cópia chegará bem mais próximo do original”.

Diogo Hamlet

terça-feira, 19 de julho de 2011

Amar pra que?

Quem nunca pensou em chegar a uma definição sobre o amor? É claro que ninguém nunca conseguiu, dizem que amor não se define, se sente, acho que em partes quem afirmou isso viveu um grande amor, que lhe mostrou a longa estrada da felicidade, ou não. Se relacionar não é tarefa fácil, quando se namora você tem uma ligeira impressão de que está perdendo sua liberdade, quando você fica noivo (a) você já tem mais convicção de que a prisão será decretada, enfim quando se casa você tem certeza disso, mas isso não é totalmente verdade, como comparar a uma prisão quando se tem ao seu lado a pessoa que ama? É tanto quanto contraditório, posso tentar explicar o que faz o ser humano achar que casamento é prisão, pra não generalizar vou repetir, posso tentar explicar por que o HOMEM acha que o casamento é uma prisão, há muito tempo atrás, tínhamos uma palavra mal interpretada que faziam das mulheres SUBMISSAS a seus maridos, o que com o tempo foi incomodando-as, a ponto de querer ser igual aos homens e que se não fosse igual, superior, com todos os direitos iguais, justíssimo vindo de uma geração de mulheres praticamente escravas, luta declarada, processo polêmico, ponto pra vocês MULHERES, conseguiram ser independentes, hoje é muito mais complicado de se conquistar uma mulher por que elas sabem o que querem e com quem querem. Ta maluco Diogo agora você viajou legal, não ta vendo que mulher está mais fácil do que nunca? Fácil? Como assim? Estou falando de conquista, de amor, de carinho, compreensão, companheirismo, sabedoria e muitas outras qualidades hoje perdidas por uma tal de PEGAÇÃO, se estiverem falando disso concordo que hoje está muito fácil mesmo, mas ao meu ver é uma alegria momentânea, um falso sentimento de prazer que não acrescenta em nada em sua vida, e assim quando uma mulher fala que é pra casar a gargalhada é certa, o que o homem não sabe é que tudo começou com ele mesmo. Lembra da SUBMISSÃO, pois é, a interpretação dessa palavra, foi um marco em muitas gerações, onde a mulher era obrigada a fazer tudo o que o marido quer, sem questionar, opa, aí sim casamento é PRISÃO, mas submissão é bem diferente disso, quando o SIM é dito mediante a cerimônia de casamento, ali o homem declara ao mundo que aquela mulher é a mulher que ele escolheu pra ser dele e a mulher declara que aquele é o homem que ela escolheu pra ser dela, assim ele tem a missão de fazê-la feliz, muito mais do que a própria mulher que tem apenas a SUB-MISSÃO, de ama-lo e respeita-lo, ah mas por que não a mulher ter a missão? Enfim, não sei. Mas acredito que seja pelo o fato do homem ser mais forte fisicamente. É idiota minha justificativa, mas não consegui pensar em coisa melhor, bom o foco do nosso dialogo é tentar entender por que não encaramos relacionamentos como tentativas de ser feliz e sim um contrato que será quebrado caso alguém erre nesse período, a mulher dedica seu amor ao homem que retribui até o momento em que outra mulher com atributos físicos, melhores do que a dele aparece daí ele começa a tratar mal a mulher dele, que não entende nada mas ainda o ama incondicionalmente e aguenta achando que só uma fase logo vai passar, quando é recebida com a noticia que ele quer se separar, ela chora horrores sofre e acha que nunca mais vai ser feliz, então começa a sair pra descontrair e lá fora encontra um mundo de liberdade, já o homem descobre que aquela mulher que ele almejou não tem nenhum terço do que a ex-mulher dele tem, é quando ele volta e vê todas aquelas qualidades estampadas no rosto da mulher, e diz: “Realmente você é a mulher da minha vida”. Mas infelizmente meu querido você voltou tarde de mais ela aprendeu que homem nenhum merece o seu amor, é quando ele começa a usar outros homens assim como ela foi usada por você e aí você vem me dizer que mulher hoje é fácil. Tudo bem só reconheça que tudo isso aconteceu e acontece por que você HOMEM, não sabe valorizar quando uma mulher decide te amar, segundo IBGE são 15 mulheres para cada homem, por que ficar só com uma? Acho que já expliquei de mais o porquê. Se quiser insistir nisso não reclame quando achar que está amando e descobrir que está sendo usado. Eu acredito que a felicidade não consiste em amar várias mulheres e sim amar uma mulher várias vezes. Eu preciso ser amado e pra isso vou entregar esse meu amor a quem me ensinou a enxergá-lo, minha MULHER.

Diogo Hamlet

segunda-feira, 18 de julho de 2011



O Sucesso

Eu sempre me pergunto o que preciso fazer pra ser um homem de sucesso? Nunca chego a uma resposta concreta, por que o sucesso poder ser um nível de status social, realização de uma meta ou objetivo o oposto de fracasso, nossa como é complicado pensar no assunto sem incluir anos de estudo, dedicação e submissão. Submissão? É isso mesmo imagine você chegar ao sucesso sem se submeter a uma liderança a uma pessoa que esteja acima de você uma escada de dificuldades que você precisa subir, precisa encarar e vencer, olhar pra trás e analisar o quanto você já passou e na sua atual situação sorrir e dizer eu venci, é óbvio que algumas responsabilidades exigem uma postura mais séria, comprometida e firme, o que não significa perfeccionismo, domínio, suas vontades acima de tudo, se manter sempre em total destaque pra nunca voltar a ser aquela pessoa que sofreu pra chegar ao sucesso. O que? Do que estou falando? Lutar pra ter sucesso é sempre lutar, um dia você está lá, outro dia você está de volta onde tudo começou o tempo entre um e outro é saber usar as palavras certas na hora certa e entender que você não está sozinho(a) só chegou onde almejou por que existiu “parceiros”, enfim. Sucesso pra você...


Diogo Hamlet

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Dia do Homem 15/07

Ser homem é ser forte
Mostrar domínio e poder
Mas fica fraco e sem norte
Se uma mulher te conhecer

Ser homem é vencer
Nunca desistir e nunca tremer
Mas se Ela chegar ao ponto certo
Suas emoções vibram no incerto
Deixando de lado sua viril masculinidade
Sendo a única a conhecer sua fragilidade

Falar de homem é complicado
Por que o que seria de homem
Sem uma mulher do seu lado?
Sou homem e posso falar
Se não fosse UMA mulher
Seria difícil me achar

Hoje é dia do homem
E vamos dar felicitações
Por que pra serem homens de verdade
Dependem delas em seus corações

Feliz dia do Homem
O cabeça do lar
Assumam essa responsabilidade
Pois tem UMA mulher pra amar.

Diogo Hamlet

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Meu Erro Foi Estudar

Essa história apresenta Jurandir, um jovem bem apessoado, com seus 28 anos, bem sucedido e que morava em uma casa em um bairro nobre de Brasília. Voltava à sua antiga escola onde gostaria de agradecer aos seus professores por tudo que prontamente o ensinaram.
Quem vai contá-la é um aluno da rede pública de ensino que presenciou o trágico espetáculo. Estava ele sentado à espera de uma condução para mais um dia de luta pela sobrevivência nesse mundo onde a formação educacional é uma meta obrigatória.
Convido você, leitor, a entender essa história comum no nosso país, inaceitável na nossa cultura e, particularmente, lamentável a meu ver.

Certa feita, Jurandir, recém formado e bacharel em relações internacionais, acordou com uma animação diferente. Ao sair de casa para caminhar, como era de costume desde aos tempos de adolescente, começou a refletir e lembrar de tudo o quanto já tinha feito e lutado para chegar aonde estava, e quão grande foi a contribuição de inúmeras pessoas para tanto. Nunca se apegou a uma suposta estabilidade financeira, almejada por 90% dos habitantes de sua cidade, porém sempre se destacou em suas atividades.
Retornado à sua casa decidiu tirar o dia de folga para agradecer a alguns dos professores que ainda se empenhavam para formar pessoas, profissionais e seres humanos, na sua antiga escola. Entrou em casa, pegou a chave do seu Honda Civic modelo 2010/2011 e direcionou-se ao seu destino. Seu coração já radiava de alegria, pois iria rever, além de mestres, amigos que nunca esqueceria.
Ao chegar à escola, estacionou em frente à árvore e ao ver que as placas, desenhos, portões e calçada ainda eram as mesmas e que a segurança da escola continuava acontecendo, Jurandir sentiu-se em casa. Percebeu também que existia mais interatividade, pois o policial que ali se encontrava estava conversando com duas alunas e, aparentemente, era uma conversa muito agradável. Situação que na sua época não acontecia até mesmo por que a figura de um policial na época era de respeito total de no máximo um “bom dia”. Quando entrava na escola percebeu que esse policial era o cabo Xavier, formado pela mesma escola alguns anos antes de Jurandir, foi aprovado em um concurso público para a Polícia Militar e agora estava como responsável pela a segurança dos alunos da escola.
Xavier aborda Jurandir perguntando:
-Oh Amigo Afrodescendente, uma perguntinha básica: você é traficante de drogas?.
Jurandir com um enorme sorriso no rosto, estranhando a pergunta do Policial, mas entendendo que aquilo era uma brincadeira para divertir as meninas, responde com um tom de carinho e atenção:
-Não, Não sou.
Retirando-se da presença do policial é novamente solicitado:
-Ei rapaz, ainda não falei que pode ir, aqui nessa escola você só vai quando eu disser que pode ir.
Sem acreditar que isso estava acontecendo Jurandir volta:
-Sim Senhor.
As meninas que estavam com o policial sorriem com a autoridade que o cabo impunha sobre o jovem negro, o policial por sua vez prossegue:
-Para ter um carro desses ou você é traficante de drogas ou é um ladrão, qual dos dois você é ?
Jurandir, que já perdendo seu foco, distraído do seu objetivo inicial, se desmonta com a abordagem do policial, já não estando mais com aquele belo sorriso, com muita classe e frieza responde à altura a afronta do policial:
-Sabe qual a diferença entre eu e você?
O Policial já não acreditando que ele poderia prosseguir com o tom de voz, diz:
-Não, Qual?
Jurandir, já desistindo de entrar na escola voltando para o seu carro diz:
-A diferença entre eu e você é que eu estudei.

Jurandir foi preso por desacato à autoridade.

Autor: Diogo Hamlet

A comida era jogada ao chão. Seminus, os escravos dela se apoderavam num salto de gato, comida misturada com areia, engolindo tudo sem mastigar porque não havia tempo a esperar diante dos mais espertos e vorazes.
Ademar Vidal