segunda-feira, 23 de junho de 2014

Pra cima deles Professor


Bom Dia! Boa Tarde! Boa Noite! Bem amigos da rede mundo, estamos mais uma vez ao vivo direto do jogo da vida, onde em campo estão os que querem viver e que fazem toda a diferença com essa oportunidade. Escalado para essa partida está um dos jogadores que mais admiro, que sempre entra em campo com o foco na vitória de uma mensagem transmitida com integridade e fiel ao acontecimento com um talento inigualável.

Na partida de hoje fui escalado para acompanhá-lo, em um dado momento do jogo ouvi: “Estou aqui com o Diogo, ele é um poeta, está no emprego errado, ele ainda não sabe mas é um poeta”. Nesse momento um sonoro grito da torcida. Na arquibancada da minha vida o estádio tremeu, um simples gesto de um profissional exemplar, de um cara que admiro muito.

Fui remetido às visões e sonhos, por alguns longos passos, perdi a noção do tempo e espaço. Joguei a bola pra escanteio e cavei uma falta, pra ganhar tempo de digerir, me alimentar, absorver, enxergar... Acredito que com o trabalho que desenvolvo, consigo atender aos anseios dos leitores que, muitas vezes, não esperam por determinada informação, mas que de certa forma agrega positivamente ao cotidiano, e aos que entram em contato e entendem um tema muitas vezes de seu interesse. E assim, como em cada texto, enfrento os obstáculos que surgem na tentativa de conseguir uma narração de um jogo. É complicado, observo o protagonista, centro avante, artilheiro, escalado há anos, um especialista conceituado, com as exigências nos detalhes, que luta contra a falta de tempo e os dead lines cada vez mais apertados. Em meio a sorrisos, piadas, loucuras, vídeos e muita concentração, vejo a construção de textos tão fascinantes que a cada vírgula, ponto ou exclamação, sou capaz de enxergar o roll do meu conhecimento subindo mais um degrau. Enfim, nada supera o contato com o factual, com o que está acontecendo “aqui e agora”. Acredito que essa fase pela qual estou passando é apenas um degrau que tenho que alçar para fornecer um excelente alicerce para o que está por vir. 

A jogada é friamente calculada, cada lance é uma chance de gol, ir para o campo com ele é ter a certeza que os detalhes podem ser perdidos, mas sempre serão vistos. O Cruzamento perfeito, 49 minutos do primeiro tempo, acréscimos dados pelo o juiz, ele lança a bola com um chute de fora da área, o expectador observa, cada detalhe, cada palavra dita, cada imagem. 

Gooooooooooooooooooooooooooooolllllllllllllllllllllllllll, sem chance para a concorrência, no ângulo. 

Ser jogador é algo muito gratificante. Independentemente do campo ou do veículo, são agentes sociais e tem o dever de transmitir informações para a população. Somos prestadores de serviço e essa é uma função fundamental na atualidade. Espero no segundo tempo corresponder as expectativas, foi muito gratificante ter a chance de entrar em capo mais uma vez com esse atleta da comunicação, jogador do jornalismo, inspiração. Tanto tem me ensinado e tanto tem a me ensinar, que só tenho a agradecer.
Obrigado Professor, Obrigado Carlos Capelli.

Diogo Hamlet

Nenhum comentário:

Postar um comentário